São Paulo, 28 de novembro de 2021

ARTIGOS

30 de junho de 2021

Indústria 4.0 e o aço ferramenta

Editoria Serrametal

O conceito introduzido pelo Prof. Klaus Schwab, fundador do Fórum Econômico Mundial, em sua obra “Quarta Revolução Industrial”, que foi apresentada na Feira de Hannover na Alemanha em 2011, tem ganhado cada vez mais relevância no ambiente industrial. E em relação à fabricação e conformação do aço ferramenta não seria diferente.

 

Ao longo da história a sociedade passou por três revoluções industriais. A primeira entre 1760-1840, desencadeada pelas inovações da construção de ferrovias e a invenção do motor a vapor. Posteriormente, a segunda (1870-1914) caracterizada pelas produções em massa, e a terceira (1960), também chamada Revolução Digital promovida pelo desenvolvimento da computação e a criação da internet. [1]

Portanto, segundo Schwab, neste momento estaríamos dando início a um novo ciclo econômico, a Quarta Revolução Industrial ou Indústria 4.0, que de forma resumida, se refere à automação dos processos fabris e administrativos.

E isso ocorre por meio da digitalização de processos, inteligência artificial, comunicação entre máquinas, manufatura aditiva, internet das coisas e robótica avançada (como a robótica colaborativa), e tudo que engloba em termos novas tecnologias. [2]

Isso implica em diversos impactos empresariais, e dentre eles alguns benefícios como: a eliminação de desperdício, rastreabilidade, personalização, confiança, eficiência, transparência e novas modalidades de negócios. [2]

Exemplos de Indústria 4.0

As empresas metalúrgicas grandes como a ArceloMittal e a SSAB já começaram a desenvolver mudanças com base nessa ideia. Alguns exemplos de métodos e aplicações dessa ideia nas indústrias de aços são descritos abaixo:

  • Uso de drones: Os drones são usados para melhorar a segurança operacional. Eles checam as necessidades de manutenção. São equipados com câmeras que coletam imagens infravermelhas e sobrevoam as torres das instalações siderúrgicas, evitando que os funcionários precisem trabalhar a grandes distancias do chão. [3]
  •  Automatização: Nas siderúrgicas um ponto importante é a logística, logo uma tecnologia que tem sido empregada é o sistema de estoque inteligente. Equipamentos de transporte como pontes rolantes automáticas são conectadas com um banco de informações com as informações das entregas, e deslocam os materiais sem a necessidade de operadores, como consequência menor tempo de espera e menor tempo do produto em estoque.  Isso já está sendo aplicado na ArcelorMittal Dofasco, no Canadá. [4]

Inteligência Artificial: Existem diversos projetos de reconhecimento de imagem em andamento, economizando tempo e levando ao aumento da produtividade. Um projeto que foi lançado no Brasil pela ArcelorMittal serve para a medição de largura de bobinas e outro para a classificação automática de emissões de gases poluentes.[4]

Ecossistema Digital: A SSAB tem investido nessa tecnologia. Os ecossistemas digitais são ambientes virtuais onde clientes, empresas e demais públicos trocam informações e interagem em benefício mútuo. Um exemplo disso é por meio das interações nas redes sociais e aplicativos. [3]

Além de segmentos siderúrgicos também é possível associar o conceito com indústrias especializadas em conformação de aços, uma tecnologia nova é o de impressões 3D. Essa tecnologia permite diversas aplicações, pois por meio dela é possível produzir qualquer tipo de peça ou ferramenta de maneira prática e rápida.

A impressão 3D é ideal para a fabricação de objetos complexos. A matéria prima da impressora é pó metálico, que funde por meio da emissão de raios lazer. Dessa forma, são formadas camadas de partículas que aos poucos formam a peça. Atualmente, a principal limitação da tecnologia são as dimensões, pois não é recomendada para grandes volumes. [5]

Como os elementos e aplicações do conceito de Indústria 4.0 ainda estão em constante evolução, é difícil visualizar seus limites. Entretanto, é válido ressaltar que a construção de novas estratégias, independente do ramo de atuação, é fundamental para a constituição de diferenciais em relação à concorrência.

Esse conteúdo não pode ser publicado ou redistribuído sem prévia autorização.

Elaboração e Edição: Thiago Cortiz, Renata Brandolin e Karina França

Referências

[1] Cadernos Adenauer xxi (2020), nº1. A quarta revolução industrial: Inovações, desafios e oportunidades. Rio de Janeiro: Fundação Konrad Adenauer, abril 2020.
[2] FELICIO, Zulmira. Indústria 4.0. Revista do aço. Ano IV – edição 25 – 2017.
[3] Modern Technologies and Global Trends in Metallurgy. Disponível em: <https://metinvestholding.com/en/media/article/sovremennie-tehnologii-v-metallurgii-i-mirovie-tendencii>. Acesso em: 25 de jun. de 2021.
[4] Industry 4.0. Disponível em: <https://corporate.arcelormittal.com/media/case-studies/industry-4-0>. Acesso em: 25 de jun. de 2021.
[5] KOTTURKAR, S. How Does Metal 3D Printing Work: A Guide for Beginners. Disponível em: https://www.rapiddmls.com/how-does-metal-3d-printing-work/. Acesso em: 25 de jun. de 2021.